O Boleto com registro será obrigatório. E agora?

In Emissão de Boletos, Ferramentas by Boleto FácilLeave a Comment

Em junho de 2015 a FEBRABAN (Federação Brasileira dos Bancos) lançou um comunicado que deixou muita gente confusa. Segundo ela, o boleto com registro seria obrigatório e o boleto sem registro estaria com os seus dias contados. Mas o que isso realmente significa e como afeta o dia a dia dos pagamentos? Vamos lá para a explicação:

Muitos bancos estavam sofrendo com prejuízos causados pelas fraudes de boleto. Algumas quadrilhas aplicavam golpes mudando sutilmente alguns dígitos do meio de pagamento, fazendo com que o dinheiro pago fosse desviado para outras contas (o consumidor nem percebia, pois o boleto parecia ser o mesmo). Isso gerava uma série de problemas e dívidas para os bancos, que precisavam arcar com o prejuízo das fraudes. Foi pensando justamente em proteger o consumidor e evitar esse tipo de dor de cabeça que a FEBRABAN criou o Projeto Nova Plataforma de Cobrança.

Esse projeto exige que os bancos se adequem ao novo modelo de boletos com registro até o final de 2016 e deixem de oferecer a opção não registrada para o consumidor.

O que exatamente vai mudar?

A partir de julho 2017, a emissão de boletos vai ser uma operação mais segura. Isso porque todas as cobranças serão registradas no sistema bancário (as instituições terão as informações completas de cada um dos boletos emitidos, o que não acontecia na opção de boleto sem registro).

O lado “negativo” dessa mudança é o valor que deverá ser pago para as instituições financeiras. Em geral, no boleto sem registro, as tarifas só eram cobradas quando o boleto era pago. Já na modalidade com registro, os bancos têm o direito de cobrar sobre as operações de registro, de cancelamento ou alteração do boleto.

E quais são os benefícios do boleto registrado?

No dia 18/06/2015 a FEBRABAN publicou um comunicado em seu site com os principais benefícios do boleto com registro. São eles:

– Gestão da carteira (você pode saber quem pagou, o que pagou e quando pagou)
– Conciliação e relatórios de gestão
– Maior segurança e entrega eletrônica por meio do DDA – Débito Direto Autorizado
– Uso dos boletos como lastro em operações de crédito (sujeito a análise de crédito)
– Maior comodidade, pois permite o pagamento vencido em qualquer banco pelo DDA ou pela atualização do boleto no site do banco emissor.

O que eu devo fazer para começar a usar o boleto registrado?

Para garantir que todas as suas cobranças ocorram normalmente a partir de 13 de março 2017, você já pode ir prestando atenção em alguns detalhes.

  • Atualize todos os dados cadastrais dos seus clientes (aqueles que deverão pagar o boleto bancário). Preste atenção, principalmente, no CPF ou CNPJ. Esses dados serão fundamentais para a emissão das faturas.
  • Entre em contato com o seu banco para se informar a respeito do processo de migração dos boletos sem registro para os registrados.
  • Pergunte no banco quais serão as taxas para as operações de registro, de cancelamento ou alteração do boleto. Com esses valores em mãos você pode ter ideia de qual é a melhor instituição para emitir as suas cobranças.

Você usa o Boleto Fácil?

Se sim, então não precisa se preocupar! Por aqui, vamos cuidar dos trâmites necessários para que todos os boletos que você emita a partir do ano que vem estejam ainda mais seguros.

Se você ainda não usa o Boleto Fácil, teste ainda hoje a nossa ferramenta. Com ela, você pode emitir sozinho as suas faturas, acompanhar de perto quais são os seus clientes e cobranças e pagar apenas por boleto compensado!

Comece a usar o Boleto Fácil